Monthly Archives: Fevereiro 2012

“Desde que não venha aleijado para casa é o que me interessa”

É costume ouvir-se por aí que as crianças, quando vão para a creche ou jardim de infância, desde que não cheguem a casa aleijadas é o que interessa.
Realmente, a parte da segurança numa instituição é muito importante mas  não será de maior importância aproveitar os conhecimentos dos/as educadores/as para o bom desenvolvimento do seu filho/a?
Ficar a olhar para as crianças o dia todo a ver se nenhuma se magoa qualquer um o pode fazer, melhor ou pior, mas desenvolver as suas competências de forma adequada e personalizada só um/a educador/a tem a capacidade de o fazer, visto ter sido preparado/a para isso durante todo o seu percurso escolar.
Conseguir fazer actividades adequadas à avaliação das competências individuais de cada criança, entender quais as competências que devem ser trabalhadas e fazer actividades para as colmatar, observar a evolução de cada criança, estimulá-la de forma adequada é uma tarefa difícil não podendo ser qualquer um a fazê-lo.
A organização da sala, da rotina, a interacção com a criança, o projecto de sala, tudo isso tem de ser pensado tendo como objectivo principal desenvolver as competências das crianças de forma natural e eficaz.

Ao tomar a decisão de colocar um/a filho/a a frequentar uma creche ou jardim de infância muitos pais levam mais em consideração ter um lugar onde a criança pode passar o seu dia a dia, onde pode ficar em segurança e ter um dia “entretido”, em vez de ter em linha de conta que a criança ao frequentar uma destas instituições está a adquirir valores, competências, aptidões, regras, autonomia ao mesmo tempo que começa a construir a sua personalidade e a formar-se como cidadã.

É nos primeiros anos de vida que se começa a definir enquanto pessoa. As primeiras experiências das crianças acontecem numa creche, acontecem num jardim de infância onde interagem com outras crianças e outros adultos que não os seus familiares ou amigos dos mesmos. Estas mesmas experiências vão moldar a forma como as crianças vão pensar e vão agir. Formam-se as primeiras amizades e as primeiras inimizades, criam-se e estreitam-se laços.

Sem dúvida nenhuma que a frequência de uma creche ou de um jardim de infância é de extrema importância, quer para a formação quer para a educação de uma criança, daí ser também muito importante que seja um/a educador/a devidamente preparado/a para ajudar e participar nesse processo delicado que é a formação e educação dos pequenos cidadãos que são as nossas crianças.

A contribuir para este percurso difícil que é o processo educativo estão os modelos pedagógicos. São vários e são diferentes entre si, no entanto, com um objectivo em comum: desenvolver as competências de cada criança de forma individualizada e personalizada.

Cada educador/a opta pelo modelo pedagógico que mais favorecerá o seu grupo de crianças podendo mesmo fazer o seu próprio modelo, ou seja, pegar nas partes mais relevantes de vários modelos e fazer o seu.

Por isso, antes de colocar o seu filho/a na creche ou jardim de infância perceba que deve exigir segurança e higiene sim mas nunca deve abdicar da parte educativa.

Com as etiquetas , , , ,

Quais os espaços que uma creche/jardim de infância deve ter?

Quando procura uma creche ou jardim de infância para o seu filho/a é importante que veja se a instituição obedece a determinados parâmetros quanto ao seu espaço físico.

Ou seja, creche e jardim de infância são para idades e necessidades diferentes e por isso as crianças precisam de materiais e espaços diferentes. Se na creche precisamos de um espaço dedicado ao repouso (uma vez que os bebés dormem mais)  no jardim de infância a sesta é feita de maneira diferente pois em muitos jardins (principalmente nos públicos) este tempo não faz sequer parte da rotina da instituição.

Os materiais também são diferentes conforme as idades e necessidades das crianças. Se na creche as crianças precisam muito da estimulação pelos sentidos, e assim materiais que os desenvolvam e exercitem, no jardim de infância as necessidades são mais abrangentes e específicas.

Assim, confirme que na creche onde quer colocar o seu filho/a tem uma parte dedicada aos berços separada da sala parque, que tenha copa de leites, área de higiene e muito importante que tenha materiais adequados às idades de creche.

No jardim de infância  é importante perceber qual o modelo pedagógico que a educadora utiliza para perceber o fundamento da estrutura da sala. No entanto, não abdique de espaços grandes, com higiene, com materiais suficientes e em bom estado, pois o seu filho/a irá lá passar grande parte do dia. Por isso mesmo, veja se existe um espaço exterior coberto e uma sala polivalente para ter a certeza que o seu filho/a não passa todo o dia no mesmo compartimento.

Para melhor esclarecer este assunto do espaço físico nada melhor que ver este link onde mostra de forma animada os espaços que deve procurar tanto na creche como num jardim de infância.

Com as etiquetas , , ,

O que procurar numa creche/jardim de infância ?!?!?!

Muitos pais costumam fazer esta pergunta quando pretendem colocar os seus filhos numa creche/jardim de infância…Há tanta oferta..Tanta publicidade…Qual devemos escolher?

Pois bem…É importante que antes de inscrever o seu filho faça uma visita à instituição. Olhe com “olhos de ver” todo o funcionamento da creche/jardim de infância e tenha sentido crítico apurado para perceber o que pode ou não aceitar num local onde o seu filho/a irá passar a maior parte do seu tempo.

Deverá pensar previamente naquilo que deseja de forma a elaborar uma pequena lista de perguntas a fazer durante a visita.

As perguntas poderão passar pelo espaço em si, pelo funcionamento geral e específico da instituição.

Por exemplo:

– será que o espaço é adequado ao número de crianças existentes?

– o espaço tem condições de higiene, segurança?

– qual o modelo pedagógico que o/a educador/a usa?

– existem recursos humanos suficientes para o bom funcionamento da instituição?

– qual o plano de actividades anuais/diárias?

– em que consiste a avaliação das competências do seu filho/a?

É importante que se perceba que uma creche/jardim de infância não é só um sítio onde pode deixar os seus filhos em segurança. A profissão de educador/a exige uma licenciatura por algum motivo. O/A educador/a do seu filho é uma mais valia na educação e desenvolvimento do seu filho/a. Aceitar menos do que isso é perder a oportunidade do seu filho desenvolver competências que irá necessitar no futuro. Exija que a instituição onde coloca o seu filho seja a adequada para dar as bases necessárias para o seu desenvolvimento futuro.

Por isso antes de inscrever o seu filho/a perca tempo a escolher o sítio mais adequado.

Com as etiquetas , ,

Qual a diferença entre Creche e Jardim-de-Infância???

Como vocês sabem, um educador/a pode exercer funções em diversas valências, como num jardim-de-infância, numa creche, num centro de actividades de tempos livres  ou até mesmo num hospital. Pode até dirigir e coordenar tanto creches como  jardins-de-infância. Mas hoje apenas vamos falar-vos das duas principais valências onde é mais frequente encontrar um educador/a a trabalhar, ou seja, vamos falar-vos no jardim-de-infância e na creche.

Assim:

Creche

é a instituição que se destina a crianças com idades compreendidas entre os 4 meses e os 3 anos de idade, com um horário de funcionamento compatível com o horário de trabalho dos pais. A creche visa o desenvolvimento global da criança, as suas primeiras aprendizagens (através de diversas atividades), assim como, interações não só com outros adultos mas também com outras crianças.
As creches podem ser privadas ou Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), sendo regulamentadas pela Segurança Social.

Jardim-de-Infância

destina-se a crianças com idades compreendidas entre os 3 anos e a idade de ingressar no ensino básico, ou seja, os 6 anos de idade. O jardim-de-infância proporciona às crianças diversas atividades educativas, rotinas, bem como apoio à família.
É regulamentado pelo Ministério da Educação podendo ser público, privado ou IPSS.

Educar….

“Para mostrar basta um dedo. Para instruir é preciso o intelecto. Para ensinar é preciso inteligência. Para educar é necessário além de mais, sensiblidade e acrescentemo-lo, amor.”

(Edgar Willems, 1880-1978)

Mas afinal o que é ser educador/a???

Afinal de contas o que é ser educador/a?? A resposta mais comum é “pessoa que toma conta de crianças”. Esta é uma ideia que não poderia estar mais longe da verdade.

Ser educador/a é ter nas mãos a vida e o futuro das crianças. É ter o poder de educar, de mostrar o mundo a alguém que vê tudo pela primeira vez. É dar amor, carinho, afecto, mas também é saber dar regras e valores. É saber dizer NÃO quando é preciso, é estar presente.

Ser educador/a é ter a capacidade de tornar as crianças seguras, determinadas, independentes, curiosas, decididas … É conseguir ensinar matemática, português e geografia a brincar.

Ser educador/a é dar as bases necessárias à criança para que ela tenha confiança em si e no seu valor.

Ser educador/a é ter o poder de criar os adultos de amanhã. Adultos responsáveis, com valores que poderão mudar o mundo.

Haverá profissão mais importante?

Haverá tarefa mais difícil?

Sou educadora …

 

 

Sou educadora e gosto 🙂